Búfalas felizes produzem leite de qualidade :)

“A qualidade é um requisito básico, o que conquista nossos clientes é a forma que trabalhamos”. Assim começou a nossa conversa com Ronaldo Cesar, colaborador da Búfala Almeida Prado há mais de sete anos.

Dentre os pilares da empresa, encontramos o bem estar das búfalas, o foco em genética e o compromisso de produzir os queijos com 100% de leite de búfala. Para garantir que tudo funcione, Ronaldo destaca que “búfalas saudáveis e felizes produzem um leite de maior qualidade”. Na rotina da empresa, explica que o carinho com as búfalas começa antes mesmo de seu nascimento. “Por aqui, as mães recebem tratamento especial no pré-parto, com um pasto inteiro só para elas. Os bezerros, quando nascem, têm aleitamento de suas mães e acompanhamento veterinário de perto para garantir que estejam sempre bem”.

Sobre os cuidados acompanhando o crescimento das búfalas, Ronaldo faz questão de descrever, “têm sempre água limpa, alimentação de qualidade, muita sombra, trato com respeito e bastante calma”.  

Apesar dessa preocupação ir de encontro com o que o mercado exige, ele explica que isso sempre fez parte dos princípios da Búfala Almeida Prado, “algumas empresas dentro do agronegócio, podem optar por soluções mais produtivas e rentáveis, isso não é uma opção para nós”.

Ronaldo relembra o início da parceria com a Olga Ri, “conheço de quando ainda era Casa Buon Gusto, em 2016. A Cris, uma das fundadoras, sempre teve essa preocupação com os animais e com a natureza. Tinha o receio de que, ao tirarmos o leite das búfalas, estaríamos fazendo mal a elas. Mas sempre tentei explicar que existem formas diferentes e melhores de fazê-lo”.

O respeito com os cuidados e com a alimentação das búfalas são essenciais para bons resultado: “antes das nossas búfalas ingressarem na sala de ordenha elas passam por uma antesala, onde recebem hidratação com ventiladores gigantes para baixar a temperatura e uma água vaporizada que as deixam relaxadas.”

 O manejo é feito com música clássica, “descobrimos que esse tipo de música as deixam mais calmas e receptivas”, destaca.  A empresa conta também com um Programa de Qualidade para fornecedores de leite. Este programa possui uma equipe experiente que garante o melhor leite da região, sempre de acordo com os padrões de qualidade.

Na Olga Ri, temos a missão de entregar um produto que leve para as pessoas saúde e boas experiências. Por isso, fazemos questão de conhecer os nosso fornecedores e de priorizar aqueles que compartilham dos nossos valores de pensar o bem-estar animal e o respeito ao meio ambiente.  

Para finalizar, fique com a a playlist que as bufalinhas ouvem antes da ordenha: https://open.spotify.com/playlist/0tXcfeGih4P3AAHJxnynd


Até o talo!

Há vários anos que ouvimos falar de alimentos integrais, como o arroz, a farinha e os pães, por serem mais saudáveis e nutritivos.

Alinhado com nossos valores de sustentabilidade, acreditamos que esse conceito pode e deve ser expandido para além de apenas comer grãos, frutas e legumes com casca. Para dar um passo adiante, devemos não apenas usar o alimento por inteiro, mas sim dar utilidade, e entender o potencial culinário, dos ingredientes que iriam parar no lixo.

Precisamos virar a chave e começar uma mudança em hábitos e costumes na forma de consumir e preparar refeições.

Pode parecer algo distante e difícil de pôr em prática, mas não estamos falando de receitas complicadas e exóticas, como preparar almôndegas de casca de banana, e sim de adotar soluções simples e que se adequem ao nosso dia a dia. Sabia que dá para fazer um bom caldo de legumes caseiro, base para uma boa sopa, usando todos os talos de legumes, cheios de sabor e nutrientes, que seriam descartados? É possível usar a criatividade e explorar ingredientes que passam despercebidos. Que tal colocar a rama da cenoura junto com o manjericão para fazer um molho pesto? Ou então adicionar o caule da couve em um vinagrete? E misturar as folhas da beterraba na salada? As possibilidade são muitas e a quantidade de alimentos que podemos salvar, enorme. 

Num país que joga fora todos os anos mais de 30 milhões de toneladas de alimento, é urgente começarmos a agir. Sabemos que nem sempre é simples, mas, aqui na Olga Ri, vamos nos comprometer a, cada vez mais, apurar o nosso olhar para as possibilidades e contribuir para estar fora das estatísticas de pessoas e empresas que desperdiçam comida. Queremos trabalhar para transformar tudo que for possível e comer aquilo que antes não imaginávamos. Até o talo. 

O primeiro passo para abraçarmos essa ideia foi repensar a maneira que produzimos um item tão querido do nosso cardápio: as sopas! Elas continuam saborosas, mas, a partir de agora, nos comprometemos a prepará-las com o alimento integral. No nosso caldo de legumes, por exemplo, vamos usar partes de ingredientes deliciosos e repletos de nutrientes que antes jogávamos fora. Itens como cascas de cebola e de cenoura, sementes de abóbora, talos de brócolis e de alho poró e hastes de rúcula entram para dar sabor e te mostrar que nossa sopa pode ser gostosa para você e boa para o mundo. 

Pronto! O movimento de aproveitar mais e desperdiçar menos foi lançado. Estamos só começando e queremos cada vez mais dividir por aqui o que estamos fazendo. Esperamos que isso chegue até você na forma de uma refeição leve, colorida e, mais do que nunca, integral.

Mas essa ideia não pode parar por aqui! Convidamos você e outros restaurantes a adotarem esse conceito para que, juntos, possamos usar cada vez mais os alimentos #atéotalo!

 

Bjs,

Olga Ri


O que fazemos com o plástico que geramos?

Nossas embalagens foram criadas para proteger, transportar e comunicar sobre os nossos produtos. Nos preocupamos com a praticidade e a experiëncia que cada cliente tem ao pedir Olga Ri. Temos consciência, no entanto, do grande impacto ambiental que as embalagens causam. 

Já buscamos alternativas, mas ainda não encontramos opções que sejam economicamente viáveis e ambientalmente sustentáveis para substituir o plástico que consumimos. Mas estamos de olhos BEM ABERTOS!.

Sabendo disso e incomodados com a nossa realidade, estabelecemos uma parceria com a eureciclo e passamos a fazer a compensação ambiental de 100% do plástico e papel que geramos. Mas afinal, como isso funciona?

COMO ISSO FUNCIONA?

Investimos um valor anual na #eureciclo e eles pagam cooperativas que retiram e reciclam resíduos plásticos do meio ambiente. O selo eureciclo significa que estamos remunerando a cadeia de reciclagem para que ela continue se desenvolvendo e aumentando os percentuais de reaproveitamento de materiais pelo país. 

Em 2019, remuneramos duas centrais de triagem: uma em SP e outra em MG. O resultado é vibrante. Foram cerca de 80 cooperados diretamente impactados (ebaaa!).

Com a expansão durante o ano, decidimos reforçar nosso compromisso e renovar a parceria com a eureciclo. Nos próximos 12 meses, serão compensadas 100% das embalagens comercializadas no ano anterior. Serão retirados do meio ambiente e recondicionados mais de 10 toneladas de plástico e 6 toneladas de papel. Todo esse material vai acabar ganhando um novo propósito, se transformando em tecidos, resinas insaturadas, embalagens para alimentos e não alimentos, lâminas e chapas de plástico, entre outros.

Sabemos que geramos muitos resíduos, mas estamos sempre pensando em alternativas para evoluirmos e fazermos uma escolha mais consciente para o mundo em que vivemos. Nossas cooperativas são compromissadas com o futuro e é por isso que nosso investimento impacta de forma tão positiva o meio ambiente e a sociedade. 

CONHEÇA NOSSAS COOPERATIVAS

Com a nossa contribuição, conseguimos impactar duas cooperativas diferentes:

Os certificados de reciclagem que as centrais de triagem emitem representam, em média, um adicional de 15% no faturamento dessas cooperativas, o que acaba por ajudá-las a investir em novos maquinários, melhorar a renda dos trabalhadores e investir em equipamentos de segurança.

Todo mundo ganha!